sexta-feira, fevereiro 01, 2008

Pancadas na cabeça: os danos são piores do que se pensava

Pancada traiçoeira

Traumas na cabeça podem provocar
distúrbios que só surgem anos depois


Vanessa Vieira

Os galos na cabeça provocados pelas travessuras na infância e na adolescência podem ser mais perigosos do que se imagina. Principalmente quando a pancada resulta num estado temporário de inconsciência ou de confusão mental. Há muito se sabe que pancadas fortes na cabeça podem provocar dificuldades de aprendizado ou alterações de comportamento, como mudanças bruscas de humor, tanto em crianças como em adultos. Agora, pesquisadores da Escola de Medicina Mount Sinai, em Nova York, descobriram que há muito mais casos de problemas relacionados a pancadas na cabeça do que aqueles existentes na literatura médica. Os médicos não costumam esclarecer os pacientes sobre os problemas que podem advir do trauma. O resultado é que, meses – ou anos – depois, o ferido pode deparar com perturbações, sem associá-las ao acidente. O tipo de distúrbio que os pacientes apresentam depende da área do cérebro que foi atingida.

Após uma série de entrevistas e exames cerebrais feitos com dois grupos, um de pessoas com histórico de pancadas fortes na cabeça e outro sem essa característica, os cientistas do Mount Sinai detectaram que no primeiro grupo havia duas vezes mais casos de depressão e abuso de álcool e drogas. Distúrbios como síndrome do pânico e transtorno obsessivo-compulsivo também se revelaram mais freqüentes nesses pacientes. Em outro braço da pesquisa, realizado com estudantes de programas para crianças com dificuldades de aprendizagem, 50% tinham histórico de pancadas na cabeça. Nunca é demais advertir a garotada de que modere a agitação nas brincadeiras.


Foto Digitalvision



Arquivo do blog