sexta-feira, fevereiro 22, 2008

Metamorfose aérea- Nelson Motta


Folha de S. Paulo
22/2/2008

Uma das melhores notícias deste verão é uma não-notícia: os aeroportos funcionam normalmente. Incrível, não é? Tenho viajado bastante e acompanhado o noticiário e posso afirmar que não é propaganda do governo, é verdade. Você faz seu check-in, embarca e chega, como nos velhos tempos. Sim, ainda ocorrem atrasos, mas nada selvagem, a pontualidade não é o forte dos brasileiros em geral.
Basicamente, os controladores de vôo são os mesmos, são os mesmos aeroportos e equipamentos, as mesmas companhias aéreas, aviões e funcionários, agora pressionados pelo aumento de vôos na alta temporada de férias, com pacotes, descontos e promoções. Mas tudo está normal, ou quase. Chuvas muito fortes podem provocar atrasos e cancelamentos, nos horários de pico as filas são maiores, está ficando parecido com qualquer lugar do mundo.
Méritos do ministro Nelson Jobim e da presidente da Anac, Solange Vieira, e equipe. E de quem os nomeou. Mas tudo não teria sido muito menos penoso e traumático se o ex-ministro Waldir Pires e seus trapalhões tivessem sido demitidos um ano antes? Quanto sofrimento, desgaste político, dinheiro e talvez vidas teriam sido poupados? Até Lula, que sabe tudo, deve ter aprendido algo.
Principalmente sobre os perigos e conseqüências do aparelhamento político, com incompetentes, de órgãos vitais como a Anac e a Infraero. Quem tem saudades do comendador Zuanazzi, Denise Charuto e Lomantinho? Nem os seus padrinhos. Só quem acredita que o caos aéreo foi uma invenção da imprensa golpista. Mas como celebrar a ordem sem reconhecer o caos?
Esta metamorfose aérea, por seus erros e acertos, é exemplar para o país, para a voracidade cega dos políticos e para a limpeza e a eficiência da administração pública.

Arquivo do blog