quarta-feira, março 26, 2008

Aula magna de FHC sobre despesas sigilosas


BLOG NOBLAT




Aula magna de FHC sobre despesas sigilosas

De Fernando Henrique Cardoso sobre a divulgação de despesas sigilosas ou não da presidência da República e o uso de cartão de crédito corporativo:

- Eu fiquei constrangido com a forma. Por quê? Por exemplo, lá se diz o seguinte: não sei quantas, 100 garrafas de champanhe, eleições, dia 28 de dezembro. Ora, é mentira. No dia 28 de dezembro não tinha eleição. Provavelmente sabe o que ocorreu, não foi gasto meu, foi gasto protocolar. Houve uma recepção, da posse. É champanhe nacional. Isso aparenta para um publico maior, que não sabe do que se trata, 'tá tomando champanhe.

- Ou então, a Ruth (Cardoso, primeira-dama) gastou R$ 100 para comprar um não sei o quê numa visita à Colômbia. Não foi ela. Se alguém gastou, foi o cerimonial, que retribuiu um presente, coisa normal. Não é coisa pessoal. A maneira como aparece é que está errada. Não vamos fazer um cavalo de batalha. Eu acho que se eu fosse o presidente Lula, eu diria o que eu disse: 'olha venham ver o que eu fiz com o dinheiro, como é que foi gasto esse dinheiro'. Não tem problema nenhum. Abre, mostra, é melhor.

- Veja, eu não abri nada, [ as contas] sempre estiveram abertas . Aqui se criou uma noção equivocada. Não existe conta sigilosa ou secreta da Presidência da República, e tampouco são pessoais. Porque em coisa pessoal nunca houve dinheiro público. Não pode haver. Nem comigo nem com o presidente Lula. São contas do governo, são gastos do Palácio, contas protocolares. Está havendo uma grande confusão. Se houver dinheiro público para gasto pessoal, não pode, está errado.

- Que eu saiba, eu chequei isso com os meus ministros, não havia contas secretas por razões de segurança. Obviamente você não vai anunciar o que é que o presidente vai fazer, para onde é que ele vai, quem vai acompanhá-lo, é obvio. Outra coisa é, passado um tempo, essas contas são públicas. O que é gasto de segurança? É o deslocamento, é a comida, a alimentação dos seguranças. Não há segredo nisso. Naquele momento, obviamente, ninguém vai estar anunciando de antemão. Eu pessoalmente não vejo que haja matéria complexa nisso, desde que haja bom senso.


Arquivo do blog