domingo, dezembro 15, 2013

CLAUDIO HUMBERTO


“Essa é uma tarefa que tem que ser feita pelo próprio legislador”
Ministro Gilmar Mendes (STF), sobre o financiamento privado de campanhas políticas


LULA DEU ASILO A BATTISTI PARA PAGAR DÍVIDA PESSOAL

O delegado Romeu Tuma Jr era secretário Nacional de Justiça, e por isso testemunhou os bastidores da decisão do então presidente Lula de proteger o terrorista italiano Cesare Battisti. Em seu livro Assassinato de Reputações (ed. Topbooks, Rio), ele revela que Lula não foi motivado pela ideologia, ao conceder “asilo político” ao criminoso, mas por “dívida de gratidão” com o advogado Luiz Eduardo Greenhalgh.

DEDICAÇÃO PREMIADA

O ex-presidente queria retribuir a Greenhalgh as várias defesas que fez dele na Justiça, sem cobrar, e por sua dedicação aos interesses do PT.

SENTIMENTO DE CULPA

Lula se sentia culpado por vários reveses do amigo, como a humilhante derrota para Severino Cavalcante na briga pela presidência da Câmara.

PADRINHO REAL

Segundo Tuma Jr, Battisti ganhou asilo porque Greenhagh pediu e não por influência de Tarso Genro, ex-ministro da Justiça. Simples assim.

ASSASSINO CRUEL

Cesare Battisti foi condenado duas vezes à prisão perpétua, na Itália, pelo assassinato de quatro inocentes, a serviço de um grupo terrorista.

METRÔ-CE: CONSÓRCIO ENROLADO EM ESCÂNDALOS

Sob suspeita no Ministério Público e Tribunal de Contas da União, o consórcio Cetenco-Acciona assinou contrato de R$ 2,49 bilhões com o governo do Ceará para construir a linha leste do metrô de Fortaleza. Além de não observar pré-requisitos do edital, como experiência, a Acciona teve dois executivos presos acusados de desviar R$ 150 milhões em suposto esquema no metrô de Aragón, na Espanha.

FIANÇA

A Acciona pagou fiança de R$ 32 milhões para soltar os executivos José Jordán e Miguel Ángel Bretón, presos pela Operação Molinos.

ACORDO

Após pagar fiança, em setembro, Jordán teve passaporte liberado para voltar ao Brasil, onde teria negociado as obras do metrô do Ceará.

NOVIDADE

Apesar de pareceres contrários ao consórcio, a Procuradoria-Geral do Ceará diz nunca ter sido questionada sobre a legalidade do assunto.

BANCADA PRESIDIÁRIA

Com José Dirceu comandando os trabalhos, Delúbio Soares “tesourando” e Genoino assinando sem ler, em breve teremos novo movimento clandestino: o VIP (Vanguarda Insurgente da Papuda).

DESOLÉ

É pegadinha do presidente francês François Hollande o acordo de trabalho de brasileiros até 30 anos na França. Disputarão no tapa com os franceses de 15 a 24 anos, que somam 24,6% dos desempregados.

NEGOCIAÇÃO

Estão adiantadas as conversas na Bahia para compor uma chapa com Geddel Vieira Lima (PMDB) ao governo e, na vice, o ex-senador ACM Júnior, pai do atual prefeito de Salvador, ACM Neto (DEM).

LIÇÃO DE CASA

Juiz federal contra o tráfico mais famoso do País, Odilon Oliveira sugere ao Conselho Nacional de Justiça o exemplo para outros juízes: fez 77 palestras gratuitas de prevenção do uso de drogas para 40 mil pessoas em escolas públicas em todo o Mato Grosso do Sul.

ATENÇÃO ESPECIAL

O governador e presidenciável Eduardo Campos (PSB) conversou um tempão com o ex-ministro da Integração Fernando Bezerra Coelho, durante almoço de Natal com secretários e ex-secretários do governo.

PRATA DE FORA

O governo garante preocupação com seca no Nordeste, mas designou dois estrangeiros para representar o Brasil na convenção da ONU de Combate à Desertificação e Mitigação dos Efeitos da Seca: Aldrin Martin Pérez Marin (Nicarágua) e Ignacio Hernan Salcedo (Argentina).

MEIO A MEIO

Após meses de briga, o deputado Júnior Coimbra aceitou dividir o diretório do PMDB-TO com a senadora Kátia Abreu e o ex-governador Marcelo Miranda, que indicarão o vice-presidente estadual do partido.

QUESTÃO DE TEMPO

Aspirante a disputar a Presidência em 2014, o senador Aécio Neves (PSDB-MG) se utiliza dos baixos índices da presidente Dilma em 2009 para minimizar, em seus discursos, o mau desempenho nas pesquisas.

PENSANDO BEM...

...está na hora de exumar Leonel Brizola, para ver se Lula, além da mãe, também teria pisado o pescoço dele, como dizia o velho caudilho.


PODER SEM PUDOR

RUIM DE CONVERSA

O deputado Aldo Rebelo (PCdoB-SP) foi um jornalista competente e é intelectual completo, mas nem sempre se sente à vontade em entrevistas. Ele era ministro de Relações Institucionais do governo Lula quando, interpelado por uma repórter, desconversou:

- Fala ali com o Mercadante...

- Mas, ministro, ele é muito ruim de fala...

Rebelo mentiu:

- Eu sou pior, pode acreditar...

Arquivo do blog