sábado, agosto 22, 2009

Radar

Panorama

da veja



Lauro Jardim
ljardim@abril.com.br

 

Contas muito enroladas

Rafael Neddermeyer/AE
Um verde complicado
Penna: passagens de avião para o irmão e a mulher com o dinheiro do partido


No dia em que deu adeus ao PT, Marina Silva afirmou que não acredita mais em partidos perfeitos. É bom que não tenha ilusões. Na seara verde, há uma série de encrencas com a direção nacional. Para se ter ideia, o PV até hoje não conseguiu aprovar as contas referentes ao fundo partidário de 2005. No início do mês, o ministro Arnaldo Versiani, do TSE, voltou a pedir explicações ao PV. Motivo: os técnicos mantiveram a orientação pela desaprovação das contas. As suspeitas giram em torno de José Luiz Penna, há dez anos presidente do partido. O TSE constatou que houve desde a doação de passagens aéreas para a mulher e o irmão até o fretamento de um jato e o uso de notas fiscais de empresas-fantasma.

 

Eleições 2010

De volta à estrada
Dilma Rousseff acabou seu tratamento contra o câncer e volta aos palanques em setembro amparada pelo PAC de um lado e por Lula de outro. O que os estrategistas de sua candidatura querem neste reinício de campanha disfarçada é criar uma agenda positiva para Dilma.

Palocci pede apoio
Antonio Palocci já comunicou a Lula que gostaria de seu apoio para lançar-se na disputa pelo governo de São Paulo. Na quinta-feira, o STF decide se tira o fantasma do caseiro Francenildo dos ombros de Palocci.

Articulação baiano-fluminense
O governador da Bahia, Jaques Wagner, e o prefeito de Nova Iguaçu, Lindberg Farias, fecharam um trato que será proposto ao peemedebista Geddel Vieira Lima. Se Geddel retirar sua candidatura ao governo da Bahia, o petista Lindberg retira a dele ao governo do Rio de Janeiro. Do contrário, Lindberg vai em frente. É improvável que Geddel tope esse acordo em nome da união PT-PMDB.

 

Governo

Gustavo Miranda/Ag. O Globo
Contra o preconceito
Lula: "Gente, nada substitui o toque"


O que fará Jobim?

Cresce como uma onda entre os ministros de Lula a certeza de que, quando setembro se for, Nelson Jobim vai recolher o quepe e deixar o Ministério da Defesa. Jobim nega.

Medo da guerra
José Múcio Monteiro tem avaliado junto a aliados que este não é o melhor momento para ser indicado para o TCU. Que fique claro: Múcio quer a vaga, mas fará o possível para que Lula empurre com a barriga sua indicação. Responsável pela Coordenação Política, Múcio teme se tornar refém da guerra do Senado, a quem cabe aprovar os nomes indicados pelo presidente.

 

Internacional

Visita polêmica
O Itamaraty já está preparando uma visita ao Brasil do presidente do Irã, Mahmoud Ahmadinejad, para a segunda quinzena de setembro. Se vier mesmo, será uma temporada animada: protestos e boicotes de judeus, homossexuais e mulheres são quase certos. Em maio, Ahmadinejad desmarcou sua vinda ao país na véspera de chegar justamente por isso.

 

Saúde

Lula dá o toque
Lula lança em setembro no ABC paulista uma campanha do Ministério da Saúde para que o brasileiro quebre o preconceito e faça o exame proctológico periodicamente. Será sua estreia como garoto-propaganda do exame, mas não será a primeira vez que Lula toca no assunto. No ano passado, numa visita a um hospital, chegou a dizer com sua proverbial sem-cerimônia: "O homem tem a maldita mania de achar que ninguém pode botar a mão nele. É todo machão, mas quando ele tem 50 anos e pega um câncer de próstata... Gente, nada substitui o toque".

 

Maranhão

Os vultos maranhenses
O Ministério da Cultura acaba de indeferir por unanimidade um pedido de enquadramento na Lei Rouanet de dois inusitados projetos: um documentário e um livro de arte destinados a contar "a história de filhos ilustres e vultos notáveis do Maranhão". Fernando, Zequinha e Roseana Sarney, entre outros, seriam (ou serão, se os produtores resolverem tocar o projeto sem ajuda de renúncia fiscal) as estrelas das duas obras. O MinC vetou a captação dos 900 000 reais pedidos. Segundo o parecer, os projetos "carecem de relevância cultural e têm chance de ferir o princípio da impessoalidade". É bom ficar de olho: logo, logo o pedido será feito de novo, com um padrinho mais forte. Eles são assim.

 

Economia

Negócio fechado
Depois de uma negociação longa, a francesa Louis Dreyfus selará nos próximos dias sua entrada na endividada Santelisa Vale, a segunda maior produtora de açúcar e álcool do Brasil. A empresa francesa fará um aporte de 400 milhões de reais. Outros 500 milhões de reais em dívidas com os bancos credores (os maiores são Bradesco, Itaú, Santander e Votorantim) serão convertidos em ações. O BNDESPar, ao contrário do que chegou a ser noticiado, não está no negócio.

A mina de ouro...
Eike Batista acaba de comprar 12% da canadense Ventana Gold, dona de minas de ouro na Colômbia. Pagou 41 milhões de dólares pelo negócio.

...e o sonho dourado de Eike
Mas a ambição maior de Eike é comprar a fatia do Bradesco na Vale. Já houve conversas muito preliminares com o banco, ainda que não tenham passado disso. Eike admite que estrategicamente a Vale faz o maior sentido para os seus negócios.

 

Livro

Fotos divulgação e David Rew Zingg
Uma aquarela inédita
Vinicius: o poeta pintou a mulher amada


O pincel do poeta

A aquarela abaixo foi feita por Vinicius de Moraes, em homenagem a Nelita Rocha, a quinta das suas nove mulheres. É o único quadro conhecido do poeta. Foi pintado em 1965, a pedido de um grupo de estudantes que queria leiloar algum desenho de Vinicius para angariar fundos para a formatura. Como o resultado ficou bom, Nelita não quis desfazer-se dele – e os estudantes ficaram a ver navios. A aquarela será publicada pela primeira vez na coletânea de crônicas Para uma Menina com uma Flor (Record), que chega às livrarias nesta semana.

Com Paulo Celso Pereira
Colaborou Marcelo Bortoloti

Arquivo do blog