quarta-feira, setembro 12, 2012

CLAUDIO HUMBERTO


“Nem estudei o assunto”

Ministro Teori Zavascki, indicado para o STF, sobre o julgamento do mensalão.


STF: JOAQUIM ACUMULARÁ PRESIDÊNCIA E RELATORIA

O ministro relator do processo do mensalão, Joaquim Barbosa, vice-presidente do Supremo Tribunal Federal, foi questionado por amigos preocupados com os sinais de manobras protelatórias, cujo objetivo seria arrastar o julgamento até 18 de novembro, quando se aposenta o presidente do STF, ministro Carlos Ayres Britto. A aposta do PT é que, ao assumir a presidência, Barbosa deixaria a relatoria. Ledo engano.

NEM PENSAR

Barbosa avisou: se chegar ao ponto de assumir a presidência do STF durante o julgamento do mensalão, não abrirá mão da relatoria.

ÓCIO PRECOCE

Carlos Ayres Britto vai se aposentar ao completar 70 anos, em novembro, assim como Cezar Peluso deixou o STF no último dia 3.

PEGOU BEM

A exemplo de Ayres Britto, o ministro Joaquim Barbosa também gostou da escolha de Teori Zavascki para a vaga de Cezar Peluso no STF.

FRAQUINHO

Preterido mais uma vez para a sonhada vaga no STF, Luiz Adams (AGU) agora já pode ter certeza de que Dilma não confia no seu taco.

MANTEGA REFORMA E CAIXA PAGA A CONTA

O ministro Guido Mantega (Fazenda) decidiu reformar seu gabinete e, além de fazê-lo sem licitação, obrigou a Caixa Econômica Federal a pagar a conta – o que seria ilegal, segundo especialistas. A reforma foi feita durante uma viagem do ministro ao exterior, mas ele a detestou. E mostrando que o discurso de “austeridade” na prática é outro, mandou fazer tudo de novo. A conta é da Caixa, mas nós é que pagamos.

INDIGNAÇÃO

Os caprichos de Mantega na reforma do seu gabinete causaram indignação até em assessores, pelo descaso com recursos públicos.

“EMBROMATION”

Há uma semana a assessoria de Mantega tenta embromar a coluna, para não responder aos questionamentos sobre a reforma milionária.

JOGO DE ESCONDE

A Caixa age como se tivesse algo grave a esconder. Sua assessoria negou explicações sobre a reforma de Mantega: “É com a Fazenda”.

CULTURA INÚTIL

No fim de semana, Ana de Hollanda pensava ter arrefecido o ânimo de tirá-la do cargo. Dançou ontem. Mas Marta Suplicy (PT-SP) também perdeu: a pasta é tão importante quanto... nada.

RODA VIVA

Artistas e escritores festejam a saída de Ana. Chico Buarque apoiou Dilma para emplacar a irmã e agora canta Lugar de cobra é no chão: “quem é tudo não é nada, essa vida é um vai e vem”.

QUE PDT?

O ministro Brizola Neto (Trabalho) mantém distância dos deputados do PDT, seu partido. Quando assumiu, a bancada federal deixou claro que a escolha era da presidente Dilma, e não dos parlamentares.

PEGOU PESADO

Tentando ajudar Pedro Eugênio (PT) em Ipojuca, perto do Recife, Lula chamou de “gordinho” na TV o atual prefeito Pedro Serafim, que sofre de obesidade mórbida. O filho, deputado Pedro Serafim Neto (PDT), deu o troco: por que Lula não foge da briga no Recife?

QUASE PARANDO

Apesar de marcado esforço concentrado no Senado, o quórum ontem foi tão baixo que sequer teve sessão. Na Câmara, deputados aproveitaram o vazio para falar na tribuna e aparecer na TV.

ELE TEM A FORÇA?

Conhecido em Pernambuco pelas críticas à empresa de energia Celpe, o deputado Eduardo da Fonte (PP-PE) se superou: em nota, disse ser o co-autor do pacote de Dilma, que, aliás, nunca o convidou para nada.

PAI PARA FILHO

O senador Antonio Valadares (PSB) arregaça as mangas para eleger o filho, Valadares Filho, em segundo lugar nas pesquisas em Aracaju: “Ele vai ao segundo turno, é o único que tem crescido”, aposta.

JK, 110

Esta quarta-feira (12) é aniversário de nascimento do saudoso presidente Juscelino Kubitscheck. Se fosse vivo, estaria completando 110 anos. Nasceu na cidade de Diamantina (MG).

PENSANDO BEM...

...agora só resta à ex-ministra Ana de Hollanda relaxar e gozar. 


PODER SEM PUDOR

FOBIA

Mário Covas, Fernando Henrique Cardoso e Franco Montoro articulavam a criação do PSDB, durante a Constituinte de 1988, e se reuniram com a turma de Ulysses Guimarães. O ministro Renato Archer pediu a palavra:

- Estive há algum tempo em São Paulo e lá encontrei Montoro como governador, Mário Covas prefeito e Fernando Henrique presidindo o PMDB no Estado. Do jeito que vocês são vulneráveis, cuidado com o Quércia: se ele entrar nesse novo partido, toma conta.

A advertência foi levada ao pé da letra: jamais os tucanos quiseram papo com Orestes Quércia.

Arquivo do blog