quinta-feira, setembro 27, 2012

CLAUDIO HUMBERTO


“Podem descontar no meu contra-cheque”

Senador Álvaro Dias (PSDB-PR) sobre o imposto que incide sobre os 14º e 15º salários


STF: ESCOLHA DE ZAVASCKI EVITOU PRESSÃO DE LULA

Pareceu apressada a escolha do ministro Teori Zavascki para o lugar de Cezar Peluso no Supremo Tribunal Federal, e foi mesmo. Mas nada teve a ver com o julgamento do mensalão. Seu nome surgiu durante uma conversa da presidente Dilma com o amigo Gilson Dipp, ministro do Superior Tribunal de Justiça. Ao bater o martelo, ela evitou a pressão que Lula já fazia para indicar o substituto de Peluso. Daí a “pressa”.

UNANIMIDADES

O ministro Gilson Dipp, ele próprio uma unanimidade, mostrou a Dilma que Teori Zavascki seria sua melhor escolha. Ela aquiesceu.

O NOME DE LULA

Lula queria que Dilma indicasse um outro ministro, que ele nomeara para o STJ, também muito admirado no meio: Benedito Gonçalves.

BRASIL ENVERGONHADO

Prisão do presidente do Google por não retirar o vídeo pelo qual não é responsável, teve mais destaque internacional que Dilma na ONU.

LEI DA MORDAÇA

Mais um: a Justiça Eleitoral de Piraí (RJ) proibiu a circulação do jornal Correio de Notícias, acusado de beneficiar um candidato a prefeito.

PIMENTEL NA CASA CIVIL

A presidente Dilma poderá substituir Gleisi Hoffmann na chefia da Casa Civil por seu amigo Fernando Pimentel, ministro de Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior. Em uma tacada só, deslocaria Aloizio Mercadante (Educação) para o Itamaraty, e ganharia os ministérios do Desenvolvimento e da Educação para negociar em troca de apoio a Fernando Haddad no 2º turno em SP.

RECOMPENSA

A promoção de Pimentel seria prêmio por seu engajamento, a pedido de Dilma, na campanha de Patrus Ananias, seu rival no PT mineiro.

ACORDO BRANCO

Candidato pelo PMDB em São Paulo, Gabriel Chalita fez acordo para apoiar o PT num segundo turno. Em troca, pede a pasta da Educação.

DANÇA DAS CADEIRAS

A possível ida de Mercadante para o lugar de Antonio Patriota foi antecipada em julho nesta coluna. Outra opção para ele é a Casa Civil.

SALVE, DILMA

Curiosa a aprovação de Dilma no Nordeste (68%), segundo a pesquisa CNI/Ibope. É a região com os piores índices de Educação e Saúde. A pesquisa mostra que o caso do mensalão não prejudica a imagem dela.

VALEC DEMITE OUTRO

Após demitir o ex-presidente da estatal Valec José Eduardo Castello, o governo confirmou a demissão de outro dirigente. Ricardo Garofalo Loos, réu por improbidade e fraude em licitações no escândalo do VLT de Brasília, não é mais o chefe de Licitações e Contratos da Valec.

EDITAL CANCELADO

O governo federal também cancelou o suspeito edital da Valec para comprar 95 mil toneladas de trilhos. Vetava a participação de empresas nacionais e prevendo pagamento dos produtos no exterior.

ASSIM É FÁCIL

O governador Tarso Genro (PT) vai patrocinar com dinheiro público o Fórum Social Mundial Palestina Livre, em novembro. Faltou perguntar aos contribuintes gaúchos se eles concordam com essa “contribuição”.

ÀS MOSCAS

Em recesso branco devido às eleições, a Câmara sequer reuniu um décimo dos deputados esta semana, número necessário para que a sessão conte como prazo para a votação de emendas constitucionais.

HABILITADOS

O ministro Aldo Rebelo (Esportes) entrega hoje as chancelas do Plano de Promoção do Brasil para Copa 2014. Foram aprovados 96 dos 199 projetos apresentados nas áreas de negócios, turismo e sociocultural. 

PEPINO É DO PR

O PMDB divulgou nota lembrando ontem que o ex-líder do partido José Borba – em julgamento no STF por envolvimento no mensalão – não faz parte da sigla desde outubro de 2007, quando se filiou ao PR.

INTRIGA DA OPOSIÇÃO

Com medo de perder votos em Minas, o PT alega que a presidente Dilma recebeu ofício da associação de municípios mineradores pedindo para vetar emenda que evita exportação subfaturada de minérios.

PERGUNTA AO BARMAN

Se o mensalão não é happy hour, como afirmou ontem no Supremo o ministro Luiz Fux, os mensaleiros vão ficar sem “saideira”?. 

PODER SEM PUDOR

PEDIDO DE BEBUM

Lutero Vargas, filho de Getúlio, aceitou convite para passar uns dias em Fortaleza. O anfitrião, Renato Solden, era boêmio conhecido na cidade e amigo sincero do visitante. Num banquete oferecido por Menezes Pimentel, Lutero resolveu brincar com Renato:

- Faça um pedido que eu dou um jeito de ele ser atendido.

Com a língua enrolada pela bebida farta, Solden levantou-se, solene:

- Amigo Lutero, quero mesmo pedir uma coisa...

- Pois não. É só falar que eu atendo.

- Quero ser nomeado bispo auxiliar desta zona...

Arquivo do blog