domingo, setembro 23, 2012

O compromisso com o erro - JOÃO BOSCO RABELLO



O ESTADÃO - 23/09


Sob perspectiva histórica, a nota assinada pelos partidos da base aliada em solidariedade a Lula é um desastre completo. Por mais que se esforcem para dar ao conteúdo o limite da solidariedade ao ex-presidente, os dirigentes signatários da carta comprometeram suas biografias políticas ao emprestarem apoio à tese de que o julgamento do mensalão é um golpe contra a democracia, sentença que alcança o Supremo Tribunal Federal.

O texto vai além do desagravo a Lula, acusado por Marcos Valério, na revista Veja, de chefiar o esquema, para insistir na negação de um fato que já produziu mais de uma dezena de condenações. O PT amplia seus ataques à mídia e ao STF como recurso eleitoral para reduzir a repercussãonegativa dojulgamen-to nas campanhas País afora.

A iniciativa, portanto, atende apenas ao PT e, se algum efeito positivo tiver, é restrito ao eleitorado histórico do partido. Já os que se associaram ao manifesto nada têm a ganhar, mas muito a perder, principalmente os que vinham conseguindo cumprir uma pauta que passa ao largo de tema tão desgastante, caso do governador de Pernambuco e presidente nacional do PSB, Eduardo Campos.

Em curto e médio prazo, é quem mais perde: varrido pelo arrastão de solidariedade a Lula, entrou na agenda negativa. De olho no apoio doPTà sua candidatura presidencial, seja lá quando se der, vestiu a saiajusta e assinou o papel.

Associar sua imagem ao mensalão é desastroso no momento em que o gover-nadorbusca a visibilidade nacional. Afi-nal,oPT tem muitos culpados para seus erros, entre os quais a “mídia golpista”. Mas o réu é ele.

“A cada dia o seu mal”
Roberto Jefferson, presidente do PTB

SOBRE SUA IMINENTE CONDENAÇÃO PELO STF

Jantar indigesto

O bom desempenho do PSB na campanha municipal, especialmente nas capitais, foi o prato principal no jantar da cúpula do PMDB com o vice-presidente Michel Temer, na última terça-feira, no Palácio Jaburu, transformado em quartel-general da legenda. O diagnóstico - e a preocupação - é de que a performance do partido fortalece o governador Eduardo Campos já para 2014. A sobremesa foi a inconformação do ex-ministro Geddel Vieira Lima com a entrada da presidente Dilma Rousseff na campanha em Salvador, onde seu candidato, o radialista Mário Kertész, está em terceiro lugar. A disputa está polarizada entre ACM Neto (DEM), que lidera as pesquisas, e Nelson Pellegrino, do PT.

Prefeito, não

Terceiro colocado nas pesquisas para prefeito de Teresina, o senador Wellington Dias (PT), tem, porém, 62% das intenções de voto para governador, segundo sondagem interna. O índice expõe o receio do eleitor de que ele deixe o mandato no meio para disputar o governo em 2014.

Mais do mesmo

Condenado por corrupção passiva, lavagem de dinheiro e formação de quadrilha pelo relator do mensalão, Joaquim Barbosa, o deputado Valde-mar Costa Neto (PR-SP) responde a mais dois inquéritos no STF.

Num deles, é investigado junto com o ex-ministro dos Transportes, senador Alfredo Nascimento (PR), por suspeita de fraude a licitações na Valec, estatal de ferrovias vinculada à pasta. Na segunda investigação, em andamento desde 2008 e com mais de 4 mil páginas, é suspeito de crimes eleitorais e contra a administração pública.

Caixa 2

O deputado estadual Álvaro Guimarães (PR), da Mesa Diretora da Assembleia de Goiás, recebeu R$ 30 mil de Cachoeira, pela empresa Alberto & Pantoja. O dinheiro entrou em 2010, reforçando suspeitas de caixa dois em campanhas País afora por meio de empresas fantasmas.

Arquivo do blog