sábado, setembro 22, 2012

CLAUDIO HUMBERTO

“Injustificável e inaceitável tanto no conteúdo quanto na forma”
Chanceler Antonio Patriota e a queixa dos EUA sobre tarifas de importação do Brasil

LEWANDOWSKI “TELEGRAFOU” QUE VAI ABSOLVER DIRCEU

O voto do ministro revisor Ricardo Lewandowski sobre corrupção passiva, na última sessão do Supremo Tribunal Federal, é uma clara indicação de que ele votará pela absolvição do José Dirceu e do ex-deputado José Genoino, no processo do mensalão, no caso de corrupção ativa e, consequentemente, na acusação de crime de quadrilha. A avaliação é de importantes juristas, a pedido desta coluna.

SEM SURPRESA

Veterano ministro do STF disse que Lewandowski não o abismaria, livrando Dirceu: “Ora, ele absolveu Pedro Henry...”, ironizou.

PESSIMISMO

O abatimento de Dirceu e Genoino preocupa seus amigos. Andam mais pessimistas em relação ao julgamento do que imaginavam.

SÓ NOS AUTOS

Joaquim Barbosa vai ignorar uma nota de Dilma sobre a referência que fez a um depoimento dela. “Juiz se manifesta nos autos”, disse.

MENSALÃO EM AÇÃO

Joaquim citou a frase de Dilma “espantada” com a aprovação rápida de duas MPs, em 2003 e 2004, no governo Lula. Era o mensalão em ação.

SERRA E RUSSOMANO JÁ NEGOCIAM APOIO

Em primeiro e segundo lugar nas pesquisas a prefeito paulistano, Celso Russomano (PRB) e José Serra (PSDB) têm procurado pessoalmente lideranças políticas de coligações adversárias para tentar apoio em um eventual segundo turno. Ambos conversaram com partidos que integram a coligação de Gabriel Chalita (PMDB) e do petista Fernando Haddad, além de outros candidatos menores à prefeitura de São Paulo.

SÓ NO TRANCO

Apadrinhado de Lula, Haddad esperava atropelar Serra com a entrada da presidente Dilma e de Marta Suplicy na campanha. Deu chabu.

MENSALÃO ELEITOR

O comando petista acha que Haddad “empacou” porque o escândalo do mensalão virou campeão de audiência no horário eleitoral gratuito.

QUE ANO!

A partir deste sábado, faltarão exatos cem dias para acabar o movimentadíssimo ano repleto de cachoeiras e mensalão de 2012.

CASCATA

Teve efeito zero o manifesto dos partidos da base aliada “à sociedade brasileira”, estimulado por Lula. Foi tão “explosivo” que o ex-presidente viajou ao México logo depois.

A OSTRA E O ROCHEDO

Os problemas familiares de Marcos Valério, que estaria morando sozinho, extrapolam a tensão do julgamento do mensalão: a mulher, Renilda, é dona oficial das empresas de publicidade dele, acusadas no esquema, e discorda da suposta intenção de Valério de abrir o bico. 

UMA FÁBULA

Curioso o empenho dos petistas defendendo o ex-presidente Lula de acusações no mensalão, se ele mesmo foi à TV após o escândalo pedir “desculpas” pelo episódio, que hoje reafirmam que “não existiu”.

FORÇA-TAREFA

Após a investida em favor da “honra de Lula”, setores do PT pensam num grande movimento pró-José Dirceu, cujo julgamento no Supremo deve coincidir com as eleições, com prognóstico ruim para o partido.

TIRO NO PÉ

Integrantes do PT-MG avaliam que a presidente Dilma errou ao vetar, às vésperas do primeiro turno das eleições, emenda que altera tributo pago por mineradoras. A medida daria R$ 300 milhões ao ano a Minas.

TRAIDORES

Para o presidente do PSDB-MG, Marcus Pestana, o ministro Fernando Pimentel e Patrus Ananias, candidato do PT em Belo Horizonte, “entregaram a cabeça de Tiradentes à Coroa” ao apoiar a decisão de Dilma.

CUNHADO É PARENTE?

Em pé de guerra no Recife, o PT prepara recurso ao TSE. Garante que o juiz indicado pelo TRE para julgar um pedido de impugnação de Geraldo Julio (PSB), na disputa pela prefeitura, por abuso de poder econômico, seria cunhado do presidente do partido do candidato.

SANGRIA

Sugestão oportuna do leitor Fábio de Mendonça, do Paraná: em vez de enfernizarem a vida do contribuinte, servidores públicos poderiam fazer algo mais útil a quem lhes paga o salário: doar sangue nos postos.

PENSANDO BEM...

...Tem mesmo “mar de lama” tramando contra “a democracia”. Quem sabe tudo sobre o assunto atende pelo nome de Jacinto Lamas, réu do mensalão. 

PODER SEM PUDOR

SEM DESPERDIÇAR BALAS

A política sempre produziu malucos. O ex-governador de Alagoas Silvestre Péricles, certa vez, recebia uma comissão que pretendia a criação de uma Faculdade de Filosofia quando resolveu puxar conversa com um dos presentes, padre Teófanes de Barros, educador emérito:

- Veja, padre, que blasfêmia: meus inimigos espalham por aí que eu coloco os retratos deles no quintal do Palácio e fico treinando tiro ao alvo.

- Que calúnia, governador - concordou o padre, homem gentil.

- Que besteira! Se fosse para atirar eu não ia ficar gastando munição em retratos. No dia que resolver, saio é atirando na bunda deles!

Arquivo do blog