sábado, janeiro 18, 2014

CLAUDIO HUMBERTO

COLUNA DE CLAUDIO HUMBERTO

“Rolezinho não é caso de polícia, é caso de presença da juventude”
Ministra Maria do Rosário (Direitos Humanos) sobre a arruaça juvenil em shoppings


OPOSIÇÃO VAI DENUNCIAR PRESÍDIO-AÇOUGUE À OIT

Opositor da oligarquia da família Sarney no Maranhão, o Solidariedade elabora dossiê para denunciar à Organização Internacional do Trabalho (OIT) as precárias condições de trabalho de funcionários no Complexo Penitenciário de Pedrinhas, onde presos foram decapitados em motim no fim do ano. Segundo advogado Rodrigo Lago, há denúncias de que cerca de 80% do quadro são terceirizados e ganham ínfimos R$ 900 por mês.

VIDA EM RISCO

Lago explica que, além da falta de proteção do Estado, os terceirizados não fizeram treinamento para lidar com bandidos de alta periculosidade.

MAU CHEIRO

O documento deverá denunciar ainda a insalubridade do presídio, onde policiais militares tiveram de cobrir o nariz para aguentar o mau cheiro.

SEM CHANCE

Para o presidente Simplício Araújo (SDD-MA), se Roseana Sarney não terminou hospitais em três anos, imagina construir presídio em 60 dias.

FAZENDA DOS BICHOS

Enquanto José Genoino finge pobreza e faz “vaquinha” para pagar multa judicial, Henrique Pizzolato alimenta “bezerro de ouro” na Suíça.

SECRETÁRIO SE INSINUA ‘ESCOLHIDO’ E IRRITA CAMPOS

O governador pernambucano Eduardo Campos (PSB) interveio irritado, quinta (16), para impedir uma crise na sua equipe, após o secretário de Governo, Tadeu Alencar, “vazar” que havia sido escolhido candidato à sucessão do chefe. Pelo menos outros dois pretendentes querem apoio de Campos para governador. Do tipo que se dá excessiva importância, Alencar é conhecido pela arrogância com subordinados e até aliados.

NOMES FORTES

Mais três do PSB querem o governo de PE: o vice João Lira, ex-ministro Fernando Bezerra e Paulo Câmara, secretário da Fazenda.

VIABILIZANDO-SE

Como secretário de Governo, Tadeu Alencar cuida da agenda política de Eduardo Campos, mas desde 2013 criou sua própria agenda.

CORTE & COSTURA

Parentes de Eduardo Campos como a mãe, ministra Ana Arraes (TCU), têm simpatia pela candidatura de Tadeu Alencar.

ESCONDENDO O JOGO

Ex-dirigente do PT, ex-diretor do Banco do Brasil no governo Lula e figura central na ladroagem do mensalão, Henrique Pizzolatto fugiu do Brasil dizendo-se “injustiçado”. Mas com 2 milhões de euros na Suíça.

AÍ TEM COISA

O PSB estranhou a coincidência entre o anúncio do prefeito Márcio Lacerda de que não disputará governo de Minas e a visita de Dilma a Belo Horizonte, ontem, liberando verbas para mobilidade urbana.

SUPERAVIT CRUEL

Além da suspeita de encerrar poupanças da Caixa para fazer um lucro maroto, depois distribuído a funcionários, o governo pode ter cortado até verbas do SUS para fabricar superavit primário de R$ 75 bilhões.

BOLICHE DA POLÍTICA

No PMDB, lideranças dizem que Dilma fez um strike: derrubou de uma vez só o apoio de Vital do Rêgo (PB), descartado para o comando da Integração, e o de Eunício Oliveira (CE), ao prestigiar irmãos Gomes.

DORMINDO COM INIMIGO

O deputado Augusto Coutinho deverá convidar o presidenciável Aécio Neves (PSDB-MG) para o primeiro encontro regional do Solidariedade, marcado para 21 de fevereiro na terra de Eduardo Campos (PSB).

FISGANDO PELO ESTÔMAGO

Adversários na briga pela liderança do PMDB ano passado, Eduardo Cunha (RJ) sondou Sandro Mabel (GO) sobre assumir o Ministério da Agricultura, já que seu plano é disputar Prefeitura de Goiânia em 2016.

BRIGA INTESTINAL

O fotógrafo oficial da Presidência, Roberto Stuckert Filho, anda às turras com os seguranças. Chegaram a negar-lhe carona no comboio oficial após evento com Dilma. Ele acabou tendo de pegar um táxi.

NEM PISARÁ LÁ

O PMDB aposta que a presidente Dilma vai optar pela neutralidade nas eleições em MS, onde governador André Puccinelli (PMDB) enfrentará Delcídio Amaral (PT), isolado no PT após presidir a CPI do Mensalão.

BANCO DE TALENTOS

Contratado para a assessoria da CUT, o mensaleiro-presidiário Delúbio Soares seria melhor aproveitado na contabilidade criativa da entidade.


PODER SEM PUDOR

UMA LINDA PRINCESA

Nos início dos anos 80, a Áustria doou os restos mortais da princesa Tereza Cristina ao Museu do Ipiranga. Chegada triunfal: banda de música, guarda de honra etc. No alto da escada do avião, surgiu Emanuel Masserani, assessor do deputado monarquista Cunha Bueno. Ele desceu devagar, com o cuidado de mordomo: nas mãos, a pequena urna dos restos da princesa. Ao pé da escada, Paulo Maluf, governador, achou aquilo tudo meio ridículo:

- Ô, Masserani, como vai a nossa princesa? - perguntou, irônico.

Ele abriu um sorriso, revirou os olhos para o alto e respondeu, extasiado:

- Linda, senhor governador, lin-da!

Arquivo do blog