sábado, maio 24, 2014

Juros em ação - José Paulo Kupfer -

Juros em ação - José Paulo Kupfer - Estadao.com.br...

Juros em ação

O resultado da variação mensal do IPCA-15, em maio, abre espaço para a hipótese de que começam a aparecer nos índices de inflação, com mais nitidez, os efeitos do atual ciclo de aperto na política monetária, com a elevação das taxas de juros, iniciado em abril de 2013. Essa possibilidade deverá ficar ainda mais clara quando for divulgada a variação do IPCA cheio do mês, nos primeiros dias de junho.

Para o IPCA cheio deste mês, as projeções dos analistas apontam variação menor do que a verificada no IPCA-15. Em relação a abril, este variou 0,58%, ao passo que o índice cheio deverá fechar entre 0,45% e 0,5%. A diluição gradativa do último choque na oferta de alimentos, provocado pela inesperada estiagem no verão de 2014, permite observar com mais clareza a ação contracionista nos índices de preços.

É verdade que, dos nove grupos que compõem o IPCA-15, sete ainda apresentaram alta em maio. Mas, com sinais cada vez mais generalizados de esfriamento da atividade econômica – o que também tem a ver com a política monetária contracionista –, a tendência para os próximos meses é de recuo geral nos índices de preços.

Já em maio, tanto o segmento de preços livres como o de serviços registraram recuos importantes no IPCA-15. O ritmo de alta dos primeiros caiu de 0,91%, no IPCA-15 de abril, para 0,46%, em maio. Detalhe importante: os produtos "comerciáveis", que são afetados pela valorização recente da taxa de câmbio, reduziram o ritmo de alta de 0,98%, no mês passado, para 0,29%, em maio.

No caso dos preços dos serviços, diretamente dependentes do nível de atividade doméstica, também ocorreu um recuo significativo. De uma alta de 0,55%, em abril, o grupo, no IPCA-15 de maio, variou 0,24%. No acumulado em 12 meses, ainda estão muito acima do teto da meta, mas a trajetória previsível é, sem dúvida, de recuo.

Sem a presença de choques de oferta e de interferências ou grandes distorções de mercado, uma situação de redução do ritmo de atividade econômica leva, normalmente, a uma descompressão inflacionária. Além de atuar nesse sentido, a política de contração monetária facilita a manutenção de uma taxa de câmbio remais valorizada, que também atua na direção de altas mais moderadas de preços.



Enviada do meu iPhone

Arquivo do blog